terça-feira, 11 de agosto de 2009

BETTE DAVIS EYES...



" Morro de delicadeza. Tudo merece um olhar. (...) Mato com delicadeza. Faço chorar delicadamente e me deleito. (...) Não sou bom nem mau: sou delicado. Preciso ser delicado porque dentro de mim mora um ser feroz e fratricida como um lobo. (...) Não existe ser mais delicado que eu; sou um místico da delicadeza; sou um mártir da delicadeza; sou um monstro de delicadeza." (Vinícius de Moraes)


Ela sempre foi doce.

Uma noite, por um minuto, desejou profundamente que ele não existisse mais.
Desenvolveu armas químicas. Naufragou um navio.
E visualizou um desses vôos que simplesmente desaparecem no ar.

Sempre foi leve.
Mas precisava matá-lo.

E, desprovida de culpa...
... estava livre.

2 comentários:

amanda.fatecrp disse...

"a vida é uma caixinha de surpresas", o absurdo doce do clichê faz-se verdade. Não sei bem que ventos me trouxeram ao teu blog, não sei quê pq me fez ler, e ler, e ler mais... pois ficou viciante de tal forma o modo simples e prolixo(q antítese) como escreves. Parabéns, pretendo continuar visitando.
Amanda S.(amanda.fatecrp@gmail.com)

*R. disse...

Olha... é indescritível a sensação que se tem quando alguém diz que gostou das suas palavras, a ponto de se viciar nelas!

Amanda, querida... muito obrigada!
Volte sempre, a casa é sua...

;)